Rodaverde.com

Blog / Notícias

As Competições de Fórmula SAE

Como primeiro artigo dessa nova trend de posts aqui no Rodaverde.com, "Mobilidade na Universidade", gostaríamos de explicar um pouco sobre como funciona as competições de Fórmula SAE Brasil que tiveram início no ano de 2004 aqui no país.

Nas competições de Fórmula SAE, equipes de várias universidades ao redor do mundo disputam entre si em competições organizadas profissionalmente com seu próprio carro desenvolvido e construído pelos próprios estudantes. A competição não restringe a avaliar apenas quem construiu o carro mais rápido, mas qual a equipe entrega o melhor resultado geral, composto por: projeto de engenharia, desempenho, custo e apresentação. Diversos são os aspectos que devem ser considerados no protótipo: dirigibilidade, aceleração, capacidade de frenagem, confiabilidade, estética etc.

A crescente popularidade da competição é comprovada pelo rápido aumento do número de participantes e pelo surgimento de novos eventos. Desde a competição inaugural em 1979, as competições de Fórmula se tornaram uma competição internacional com participantes de mais de 20 países diferentes e mais de 600 universidades. 


COMO SÃO AVALIADOS OS PROTÓTIPOS NAS COMPETIÇÕES?

1. Provas de Segurança: 

Uma série de medidas e regulamentos de segurança deve ser respeitadas para todos os protótipos das competições. Isto é para garantir a segurança e a competitividade nivelada entre as equipes. As Provas de Seguranças não valem nenhum ponto na competição, contudo o carro só está apto a competir nas Provas Dinâmicas mediante a aprovação em todos os eventos desta prova. Abaixo, estão as três provas:

  • Inspeção Técnica:
Para esta inspeção, todos os componentes e acessórios do carro considerados relevantes para a segurança de acordo com os regulamentos são verificados. Estes incluem a estrutura, roda, suspensão, direção, freios e pneus.

  • Tilt Table:
Este teste verifica se algum fluido operacional está vazando e se as regras referente a proteção contra capotagem são atendidos.
O carro deve ser testado em condições de pronto para as Provas Dinâmicas - ou seja, com todos os fluidos e o tanque cheio de combustível. O piloto deve estar preso e o carro está posicionado em um ângulo de 45 graus. Nada de combustível ou outros fluidos podem vazar nesse ângulo.
Depois disso, o ângulo é aumentado para 60 graus, o que corresponde a uma força de aceleração lateral de 1,7g. O carro só passa neste teste se as rodas superiores permanecerem no chão.



  • Teste de Ruído:
O teste de ruído verifica se o carro está em conformidade com as disposições para  o nível de ruído aceitável. Para medir o volume, o motor é operado em ponto morto a uma velocidade de rotação. Em neutro, o nível de ruído não deve exceder 103 dBC ou ser maior que 110 dBC a uma velocidade de rotação especificada para cada motor.

  • Frenagem:
O teste de freio verifica se o sistema de freios é capaz de travar as quatro rodas do carro simultaneamente e parar o carro.

2. Provas Estáticas:

São três eventos que avaliam não só o conhecimento técnico, mas também as habilidades econômicas e de comunicação - como técnicas de apresentação ou habilidades de planejamento financeiro.
As equipes podem ganhar até 325 pontos dos 1.000 possíveis nos três eventos estáticos, sendo:

o    Design - 150 pontos;
o    Custo e Manufatura - 100 pontos;
o    Business Plan Presentation - 75 pontos.

  • Design:
Em um primeiro momento, previamente a competição, as equipes devem enviar aos organizadores o Design Report. Este é um relatório que deve expor a engenharia envolvida no protótipo de cada equipe e como o ele será aplicado à manufatura escolhida pela equipe.


Já na competição, são realizadas apresentações de cada um dos sistemas. Estasapresentações devem evidenciar detalhes técnicos, explorando o pensamento por trás do design escolhido, bem como o correspondente entendimento técnico dos competidores acerca do tema abordado.

  • Custo e Manufatura:
Bem como o Design Report, o Relatório de Custos é um documento que deve ser encaminhado previamente aos organizadores da competição. Neste relatório, deve conter os custos envolvidos nas etapas de fabricação de cada componente do protótipo. Já na competição, a apresentação do Relatório na competição em formato de sabatina - em que o juiz indaga sobre determinado componente do protótipo e o competidor deve respondê-lo acerca dos processos envolvidos e custos, de acordo com o relatório enviado.
Em paralelo a apresentação do Relatório de Custos acontece a apresentação do Real Case. Para esta apresentação, os organizadores da competição escolhem previamente um ou mais componentes do carro e a equipe deve apresentar uma apresentação baseada em uma produção fictícia em larga escala de tais componentes.
Por fim, ainda nas provas do Evento de Custos e Manufatura, acontece a apresentação de Facilidade de Manufatura em que o objetivo é que cada equipe consiga realizar a exposição de dados e técnicas de fabricação que mostram que o protótipo é de fácil manutenção e montagem.

  • Business Plan Presentation:
A última Prova Estática é uma apresentação de no máximo 10 minutos em cada equipe deve apresentar um plano de negócios para que uma empresa fictícia possa produzir e comercializar o protótipo apresentado pela equipe.
 
3. Provas Dinâmicas:

Cada evento dinâmico testa diferentes aspectos dos veículos. Além da máxima aceleração longitudinal e lateral, o desempenho da corrida, a eficiência e a resistência dos carros de fórmula serão examinadas e avaliadas.
Para os eventos, cada carro tem a oportunidade de realizar cada prova com dois pilotos, cada um com duas tentativas. Um máximo de 675 pontos pode ser marcado ao longo dos quatro eventos dinâmicos e do evento de eficiência, sendo:

o    Aceleração - 100 pontos;
o    Skid Pad - 75 pontos;
o    Autocross - 125 pontos;
o    Enduro - 275 pontos;
o    Eficiência - 100 pontos.


  •  Aceleração:
A aceleração do carro é medida em um trecho de 75 metros. Os carros mais rápidos atravessam a linha em menos de quatro segundos e podem atingir velocidades superiores a 100 km / h até o final do trecho.


  • Skid Pad:
Os carros devem percorrer um circuito em figura de 8 alinhados com cones de pista, realizando duas voltas de cada círculo. Em cada caso, a segunda volta será medida. Assim como em todas as provas dinâmicas, derrubar cone resulta em penalidade 
O tempo da volta fornece um valor comparativo para a máxima aceleração lateral possível do carro. A maioria dos os protótipos usam de projetos aerodinâmicos para aumentar a pressão de contato e assim, aumentar a aceleração lateral.

  • Autocross:
No evento de autocross, os carros percorrem uma pista de cerca de um quilômetro com retas, curvas, slalom etc. Um tempo de volta rápido é um sinal de alta dinâmica de direção, precisão do piloto e boa capacidade de aceleração e frenagem.

  • Enduro:
O evento do enduro representa mais de um terço de todos os pontos disponíveis e, consequentemente, se torna o evento mais importante da competição. Os protótipos devem demonstrar sua capacidade de resistência em uma extenuante distância de pista de 22 km e todas as características dos protótipos são cruciais.
Cada equipe recebe apenas uma tentativa e os pilotos devem ser trocados no meio da prova (aos 11km). Pode haver até quatro carros no circuito simultaneamente. 


  • Eficiência:
Durante o enduro o consumo de combustível é medido e, a partir daí, mensurado o consumo.


Um abraço,
Equipe justfFORMULA

Para saber mais sobre essa competição e as equipes que participam acesse
justformula.com.br  lá você encontra tudo sobre Fórmula SAE!


< VOLTAR
© 2020 Rodaverde.com - Todos os direitos reservados ||
Criação de sites: Trupe Agência Criativa