Rodaverde.com

Dirigir carro elétrico | Transformar carro em elétrico

Conversão de veículos convencionais para elétricos
O Rodaverde.com não é uma plataforma focada na conversão de veículos convencionais para veículos elétricos (VE), mas queremos discutir brevemente o assunto aqui.

Hoje em dia, com o crescente interesse em mobilidade elétrica, há várias pessoas interessadas em transformar o seu veículo em um 100% elétrico, por diferentes motivos.

Em geral, a transformação de um veículo não é uma tarefa muito simples. Trata-se de um projeto que vai requerer investimento, conhecimento, um plano de conversão estruturado e tempo. Antes de começar, e necessário obter o conhecimento por meio de cursos (até on-line) ou, como alternativa, ter o projeto de conversão executado por uma empresa especializada.

Processo:
Principais passos para converter um veículo convencional em um elétrico:

1. Obtenha um motor elétrico, controlador do motor VE e baterias que correspondam ao
tamanho do carro e às características de desempenho (autonomia, velocidade, potência)
desejadas.

2. Remova o motor de combustão, o tanque de combustível, o silenciador e o escape, além de outros componentes relacionados ao motor de combustão interna.

3. Mantenha a transmissão e projete um adaptador que aceite o motor elétrico e monte-o na transmissão na distância exata. Normalmente, é melhor terceirizar a usinagem de placas adaptadoras (e outros trabalhos de usinagem).

4. Projete um acoplador para conectar o eixo do motor à transmissão.

5. Monte o motor na transmissão, com o acoplador e o adaptador firmemente montados.

6. Construa compartimentos para colocar as baterias. Cortar parte do corpo do carro é
possível, e tubos de aço devem ser usados para enquadrar o compartimento.

7. Instale as baterias e o controlador, ligando-os ao motor.

Veículos adequados:
A conversão para VE é adequada para vários tipos de veículos, mas é mais recomendada e popular em veículos como bicicletas, scooters, motocicletas, carros compactos ou pequenos sedans, caminhões leves e veículos clássicos. Cada uma dessas categorias tem seus próprios desafios. Em geral, quanto mais leve e aerodinâmico o veículo, mais longa será a autonomia com uma única carga de bateria.

No Brasil, no que diz respeito aos veículos clássicos, o Fusca é um exemplo de transformação bem-sucedida, usando kits já disponíveis no mercado ou fazendo todo o processo de conversão.

Kits de transformação:
Mesmo que o processo de conversão possa ser feito comprando peças avulsas é
recomendado usar um kit já existente. Assim, evita-se dor de cabeça com a certeza de que os componentes utilizados são compatíveis. Isso aumenta as chances de que o veículo funcione como planejado e sem surpresas.

Processo burocrático:
Um veículo transformado passa por um processo de legalização até poder rodar nas vias públicas.

1. Autorização do Detran (de acordo com o artigo 30 da Resolução do Contran). Após as
modificações, é necessário que o veículo passe por inspeção veicular, obtendo o CSV
(Certificado de Segurança Veicular).

2. Um veículo elétrico convertido precisa ter um CAT - (Certificado de Adequação à Legislação de Trânsito) segundo o artigo 20 da Portaria 190/09 do Denatran. O CAT certifica que o modelo atende a uma série de testes, e assim, pode ter um código registrado no sistema Renavan. Apenas empresas credenciadas pela Denatran podem realizar a conversão de carros a combustão para elétrico, com a emissão do CAT.

Somente depois que os processos acima forem concluídos, o veículo convertido estará  legalizado e oficialmente permitido nas vias públicas.

Links/ sites úteis: 
© 2020 Rodaverde.com - Todos os direitos reservados ||
Criação de sites: Trupe Agência Criativa