Rodaverde.com

Tendências / Mobilidade

Desafios para massificação dos veículos autônomos

Em colaboração com a Bright Consulting.

Veículos autônomos fazem parte da nossa imaginação há muitos anos, mas apenas recentemente estão se tornando um cenário real. Isso devido a grandes avanços na última década nos desenvolvimentos técnicos e inteligência artificial (maior precisão dos sistemas de de geolocalização e carros ficando cada vez mais inteligentes através de sensores e tecnologias de assistência avançada ao motorista).

Todas as principais montadoras estão na corrida para desenvolver seus próprios veículos autônomos. No entanto, por enquanto, para o consumidor final as montadoras equipam principalmente seus modelos ´premium´ com funções inteligentes de assistência ao motorista, como controle de cruzeiro inteligente, prevenção de acidentes, monitoramento e relatórios de acidentes.

Além dos montadores 'tradicionais', novos players estão entrando no mercado de veículos autônomos, por exemplo: Uber, Google e Tesla.

No entanto, várias barreiras permanecem antes que veículos totalmente autônomos se tornem parte do nosso dia-a-dia. Prevê-se que adoção em larga escala de veículos completamente autônomos em alguns países não se dê antes de 2030. Isso devido a desafios relacionados à regulamentação, à necessidade de infraestrutura moderna que os sensores possam ler, preocupações com segurança e implicações de custo. Além disso, a expectativa é que veículos autônomos sejam introduzidos primeiro em ecossistemas fechados, também para garantir a sua segurança.

As previsões acimas não significam que apenas em 10 anos veículos autônomos serão realidade. Passo a passo, a autonomia dos veículos será aumentada. Na mudança para o veículo 100% autônomo, diferentes níveis foram definidos. Alguns deles já são realidade em modelos 'premium', como mencionado acima.

Os seis níveis de autonomia de acordo com o padrão SAE J3016 são:

Nível 0 - Sem automação.
Nível 1 - Assistência ao motorista.
Nível 2 - Automação Parcial.
Nível 3 - Automação Condicional.
Nível 4 - Alta automação.
Nível 5 - Automação completa.

O nível 0 não possui automação e o nível 5 significa total autonomia do veículo. Dos níveis 0-2, o motorista deve monitorar a todo momento a atividade mesmo quando os recursos de suporte estão ativados. No nível 3, em condições especificas, o veículo assume o controle quando os recursos de suporte estão ligados e o motorista tem um espaço de tempo para assumir o comando caso o veículo 'solicite'. No nível 4, em condições específicas, o sistema atua 100% do tempo. Por fim, no nível 5, o veículo é 100% autônomo em quaisquer condições.

Brasil e o caminho para veículos autônomos:

No Brasil e em outros mercados emergentes, discussões sobre veículos autônomos estão ocorrendo em fóruns e eventos relacionados às indústrias automotiva e de telecomunicações. 

No momento, veículos com tecnologias avançadas que chegam ao país geralmente tem parte de seus sistemas desativados devido a obstáculos como falta de legislação e infraestrutura específicas para conectá-los às estradas e placas de informação. Isso acontece, por exemplo, com o Audi A8, o Mercedes Benz E-Class e o BMW series 7.

No geral, uma realidade de veículos 100% autônomos provavelmente levará bastante tempo para o Brasil. A Bright Consulting prevê que somente após 2040 veículos autônomos chegarão às ruas brasileiras, o que significaria um atraso de cerca de 10 anos em comparação com outros países. O Brasil precisa começar a trabalhar em infraestrutura e definições na legislação se quiser se adaptar a esse tipo de tecnologia no futuro.

Foi estimado que veículos autônomos possam reduzir acidentes em 90%, salvando ao Brasil cerca de 42.000 vidas e eliminando R$ 50,4 bilhões de gastos anualmente. Além disso, atualmente, cerca de 25% da área total de São Paulo é ocupada por vagas de estacionamento. Devido a redução de veículos necessários (combinação de veículos autônomos e compartilhados), essa área pode ser reduzida consideravelmente, liberando espaço para iniciativas que possam 'melhorar a qualidade de vida'.

Por isso, no Rodaverde.com acreditamos que até passos pequenos para tornar os veículos mais autônomos são uma parte crucial para uma mobilidade do futuro melhor!

Um abraço,
Time Rodaverde.com

Para o estudo completo e o relatório detalhado sobre veículos autônomos, nos referimos ao nosso parceiro Bright Consulting (http://brightisd.com/).

Disclaimer: propriedade intelectual dos materiais de Rodaverde.com e não pode ser copiada ou distribuída sem aprovação prévia (contato: frank@rodaverde.com). As conclusões acima são interpretações de Rodaverde.com. Nenhum direito pode ser reservado a nenhuma das conclusões ou previsões apresentadas.

< VOLTAR
© 2020 Rodaverde.com - Todos os direitos reservados ||
Criação de sites: Trupe Agência Criativa