Rodaverde.com

Tendências / Mobilidade

Ucorp.app, serviço de compartilhamento de carros elétricos inspirado no ´novo normal´ pós COVID-19

As primeiras frotas já começaram a ser utilizadas em empresas com mais de 500 funcionários em São Paulo.


Lembra quando carros elétricos eram vistos como algo futurista e distante de nossa realidade? A UCorp.app, uma startup de tecnologia em mobilidade corporativa e veículos elétricos, deu, em Outubro em 2019, um importante passo: neste ano mais de 500 funcionários de quatro grandes empresas, localizadas em São Paulo, começaram a compartilhar veículos elétricos no dia-dia e agora, contam protocolos de higienização e prevenção contra o COVID-19. Por enquanto o projeto está em fase piloto com um pouco mais de 500 usuários, e já são 1.500 toneladas de CO2 não lançadas na atmosfera nos primeiros meses de 2020. 

 

Para facilitar mais, cada empresa participante terá um aplicativo com todas as funções do carro na palma de suas mãos. De um big data de mobilidade em tempo real a redução de custos com manutenção, sistema de carona, higienização e lavagem ecológica e gestão de multas; tudo isso acessado e controlado com poucos cliques. O app pode ser usado no próprio celular do colaborador. Basta preencher o cadastro para ter acesso aos carros disponíveis. Ele também permitirá a localização do automóvel assim como uma agenda de pessoas inscritas para compartilhá-lo. Até 4 pessoas poderão usar o mesmo carro durante viagens com destinos próximos. Os automóveis ainda terão recursos de inteligência artificial e sistema de reconhecimento facial. "Teremos não só veículos seguros e higienizados, mas também os perímetros de atuação e bases de carregamento sob vigilância 24 horas e conectados (IOT)", explica Cavalcante.

 

Os automóveis são responsáveis por mais da metade da emissão de gases do efeito estufa. Sobre isso, um relatório do IEMA (Instituto de Energia e Meio Ambiente) apontou que os carros correspondem por 72,6% desses lançamentos de poluentes. E que ainda gera um grande impacto no aquecimento global. Outro dado relevante, é  reduziram-se cerca de 50% dos gases poluentes em São Paulo em apenas uma semana de quarentena. É o que mostra a comparação dos dados atmosféricos divulgados pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) entre as semanas do dia 15 a 21 e 22 a 28 de março, são níveis comparados aos da década de 80, graças a diminuição de veículos a combustão nas ruas, esse fenômeno é semelhante ao aumento de veículos elétricos e uso de  micro-mobilidade, e manter esse impacto positivo é um dos objetivos da Ucorp pós COVID.

 

O "novo normal", inclusive nas relações trabalhistas, vai fazer com que muitas empresas  repensem a mobilidade e busquem inovação com soluções de mobilidade mais eficientes e sustentáveis para milhões de funcionários que já foram impactados pelo COVID-19 em todos os centros urbanos do País.

 

"As grandes companhias tem a preocupação com o impacto sócio ambiental e com a redução de emissão de gases poluentes (CO2) no meio ambiente pelos carros usados por funcionários para ir e voltar do trabalho, em pequenos deslocamentos, viagens ou reuniões externas, e em toda a cadeia de valor. Desde os processos de manufatura até o delivery de produtos. Existe uma nova demanda de prevenção de contaminação na manipulação das entregas, do uso de transportes públicos e veículos compartilhados sem nenhuma higienização. Nossa plataforma também servirá como um "hub social" de boas práticas e os protocolos de higienização vão promover integração entre pessoas de diferentes áreas nesses deslocamentos. As empresas multinacionais que estão implementando nossa plataforma no Brasil podem servir como "case" de pioneirismo e inovação às matrizes no exterior, onde muitas já estão operando nesse "novo normal", afirma o CEO da UCorp, Guilherme Cavalcante.

 

Mirando novos formatos de negócio, a startup está olhando novos modelos de customização da plataforma, olhando para soluções de mobilidade em micro-regiões e na inteligência de dados e no tempo de uso de modais 100% elétricos via Pay-Per-Use.


"Mas como funciona esse tipo de serviço?" Essa é uma dúvida persistente, afinal carros elétricos ainda não são tão comuns. A coisa é menos complicada do que parece. Por exemplo: haverá bases de recarga, instalados nas próprias empresas e em pontos estratégicos, como estacionamentos, hotéis e shopping centers onde será possível recarregar a bateria do automóvel elétrico. Essas bases estão sendo planejada em parceria com outras startups e empresas especializadas em eletrificacão como a Enel-X, a ABB e a EDP energia. Todas elas especializadas nesse tipo de recarga. Por enquanto, apenas cinco bases estão prontas.

 

Todos os dados da plataforma gerados pelos modais elétricos serão abertos a startups de seguros (Insurtech), de crédito (Fintechs) e outras startups de mobilidade do ecossistema. 

 

"A plataforma UCorp, personalizado para cada uma das empresas, também será de grande utilidade às autoridades de tráfegos repensarem medidas visando a manutenção  da qualidade do ar das cidades e o mapeamento das frotas das empresas nos deslocamentos feitos em horários comerciais, que são os horários de pico de transito, e esses dados nos ajudarão a entender melhorias urbanas e fazer a expansão da infraestrutura de carregamento, além da contenção do COVOD-19", diz Cavalcante.

 

Sobre a UCorp - Uma startup de tecnologia e inteligência para mobilidade corporativa B2B, criada com capital próprio (Bootstrapping), no início de 2019. Há planos de expansão do modelo de negócioaos consumidores finais (B2C) a partir de 2021. A UCorp é mantido pelo empreendedor Guilherme Cavalcante, CEO e fundador. A UCorp desde de sua fundação passou por hubs de inovação e imersões no Vale do Silicio, até chegar ao CUBO Itaú em Junho 2019. Após a expansão da equipe a estrutura da Ucorp está localizada um coworking 100% sustentável na Vila Mariana, em São Paulo.

< VOLTAR
© 2020 Rodaverde.com - Todos os direitos reservados ||
Criação de sites: Trupe Agência Criativa